Alentejanos espertos…

Um alentejano apanha um comboio para ir ao Porto e senta-se ao lado de um senhor muito bem vestido. O alentejano começa a olhar e pergunta: – Por acaso você nunca apareceu na televisão? Ao que o Sr. responde: – Sim, eu costumo ir a muitos concursos de cultura geral e por isso o Sr. deve-me conhecer daí. Como a viagem vai ser longa, você por acaso não quer fazer um jogo comigo? – Pode ser. – Respondeu o alentejano. – Então fazemos assim: como eu tenho mais cultura que o Sr., você faz-me uma pergunta sobre um assunto qualquer e se eu não souber responder, dou-lhe 50 euros. A seguir faço-lhe eu uma pergunta e se não souber a resposta, dá-me só 5. Concorda? – Vamos a isso. – Respondeu o alentejano confiante. – Então eu faço-lhe a primeira pergunta. Diga-me o nome da pessoa que escreveu “Os Lusíadas”, aquele poeta só com um olho, que dignificou Portugal? O alentejano começa a pensar e passados alguns instantes diz: – Nã sei. Ê nã sei leri. – A resposta era Luís de Camões. Dê-me os mil escudos e faça-me uma pergunta qualquer. – Tomi. Bem, qual é o animali que se o encostar a um chaparro sobe-o com quatro patas e desce-o com cinco patas? – Olhe, essa nem eu sei. – Respondeu o homem muito admirado. – Então passe para cá os 50 euros. – Tome. Mas agora diga-me, que animal é esse? – Tamém nã sei. Tome lá 5.

Ciganos e o leite

Está um cigano à porta de um supermercado juntamente com a mulher e o filho ainda pequeno, a pedir leite. O comerciante, ao ver esta cena triste, decide dar um copo de leite ao cigano. Este não tem mais nada, pega no copo e bebe o leite todo sozinho. O comerciante, danado com a cena, diz ao cigano: – Oh rapaz, então eu dou-te o leite com a esperança que tu o desses ao miúdo e tu bebe-lo sozinho? – Oh senhor! – Diz o cigano – O senhor é que não compreendeu! De manhã, bebo eu o leite; à tarde, a mulher dá o leite ao miúdo; e à noite, eu dou o leite à mulher!

Ai se fosse uma taberna…

Havia um senhor muito bêbado que era casado com uma rapariga muito mais nova. E então, em vez de fazer a sua “obrigaçãozinha” lá em casa, aparecia sempre bêbado. Um dia foram passear pela rua e o homem, ao ver uma taberna, diz: – Olha uma taberna! Vou entrar!… Entrou na taberna e bebeu uns copos. Mais à frente encontrou outra taberna e disse: – Olha outra taberna! Vou entrar!… Entrou na taberna e bebeu mais uns copos. E durante o passeio, o homem continuou a entrar numa série de tabernas. Passados uns dias, o homem chegou sóbrio a casa. A mulher, ainda que desconfiada, pensou: – “Péra lá! É capaz de ser hoje!” Chegou à noite e o homem, com um ar romântico, dá-lhe um beijo na testa. Pensa a mulher: – “Queres ver que é mesmo hoje?!” O homem continua com os beijinhos e dá-lhe um beijo no queixo. A mulher delirava de contente! O homem continua a descer e dá-lhe um beijo no umbigo. – Sim, sim! – Dizia a mulher. De seguida, o homem dá-lhe um beijo no joelho e,… Deixou-se dormir. Diz-lhe a mulher irritada: – Porra! Se fosse uma taberna tinhas entrado!…